A importância da cultura indígena no currículo escolar

Desde o início da história da humanidade, a cultura indígena esteve presente nas tradições dos mais diversos povos, que podem ser observadas até os dias de hoje. A influência é tamanha que, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), os povos indígenas abrangem cerca de 5% da população do planeta, trazendo consigo mais de 5 mil culturas diferentes e sendo responsável pela maioria dos 7 mil idiomas existentes. 

No entanto, 40% deles correm o risco de desaparecer, o que põe em risco as culturas e os sistemas de conhecimento aos quais pertencem.  

Para impedir que isso aconteça, iniciativas em todo o mundo têm surgido nos últimos anos: em 2019, a própria ONU declarou o ano como “Ano Internacional das Línguas Indígenas”. O objetivo era chamar atenção sobre a necessidade de preservar as línguas indígenas e mostrar sua rica contribuição para a diversidade cultural e de conhecimento. 

Contudo, não é necessário ir longe para encontrar exemplos aqui no Brasil. Um deles é a inserção dos elementos da cultura indígena no currículo escolar, mantendo os estudantes dos ensinos fundamental e médio constantemente em contato com as tradições do país. A obrigatoriedade dessa medida é garantida, inclusive, por uma lei sancionada no dia 10 de março de 2008. 

A SEE-SAW acredita na importância da convivência das crianças e adolescentes com a diversidade cultural do nosso país, por isso, promove atividades pedagógicas que estimulam esse contato, abordando a questão do respeito étnico e a diversidade de costumes dos primeiros habitantes do Brasil. 

Recentemente, alunos do 5º ano aprenderam a cultura indígena se divertindo e muito: liderados pela professora de Artes, Veridiana Moffa, eles produziram cocares que foram pendurados no pátio da escola para quem quisesse interagir ou tirar fotos. Os estudantes também tiveram a oportunidade de expor seu aprendizado por meio de desenhos sobre os povos indígenas.  

Esse tipo de experiência resulta em um rico processo de aprendizagem para eles, proporcionando o contato com as tradições locais e, consequentemente, com o saber da história do seu país. 

No Comments

Post A Comment